Congresso Nordestino de Produção Animal tem prestígio nacional entre profissionais e estudantes

Por Fernanda Rodrigues

Com prestígio nacional, a 12ª edição do Congresso Nordestino de Produção Animal começou em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) com participantes de todas as regiões do Brasil. O reitor da Universidade do Vale do São Francisco (Univasf), Julianeli Tolentino, pontuou a satisfação da instituição de receber o evento, realizado no seu espaço de multieventos. “Os debates fomentados aqui são de extrema  importância para o desenvolvimento da pesquisa na produção animal”, frisou.

O presidente da Sociedade Nordestina de Produção Animal (Snpa), Wilson Dutra, reforçou que o Congresso “difunde as tecnologias e as alternativas para modernizar o setor”. “Por isso, é muito importante que participemos ativamente da Snpa”, completou.


Presidente da Snpa e estudantes pernambucanos que participam do Congresso (Foto: Fernanda Rodrigues)

Na Conferência Magna, que marcou a abertura oficial do evento, a professora Tânia Bacelar falou sobre o papel da ciência para o desenvolvimento sustentável no Nordeste. Para ela, somente com muito investimento em pesquisa, inovação, tecnologia e educação será possível alcançar os patamares de sustentabilidade necessários para elevar o o prestígio do Brasil. “O mundo está muito à frente nesse sentido”, alertou.

O primeiro dia do evento foi dedicado ao Fórum de Coordenadores de Pós-Graduação em Zootecnia e Recursos Pesqueiros do Nordeste. O professor Marcos Marcondes, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), palestrou sobre o panorama 2013-2016 e perspectivas na área. Para o docente, os programas de pós-graduação  precisam de várias adaptações em busca da excelência.

Ao longo do dia, os cerca de mil participantes do evento participaram de 14 minicursos em Petrolina e Juazeiro. Entre os temas abordados estavam abate, avaliação e aproveitamento de carcaças; criação de aves caipiras; produção de rações para peixe; ordenha higiênica; uso da palma na alimentação animal; entre outros.

O professor Francisco Macedo, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que ministrou minicurso sobre produção de carcaças, salientou que o aprendizado dos cortes comerciais com excelência é primordial para garantir a qualidade. “Devido aos diversos fatores que interferem na qualidade das carcaças, esse momento com os alunos nos permitiu mostrar a prática dessa produção”, reforçou.

O uso da palma forrageira na alimentação animal comprovou que é possível driblar a falta d’água com alternativas que  garantem a saúde dos rebanhos e a produção de carne e leite. Ao longo de todos os minicursos, os participantes interagiram ao máximo com os palestrantes, uma troca de experiência muito positiva para o setor.

Durante o Congresso, o clima entre os participantes é de muito otimismo com o desenvolvimento das pesquisas, principalmente entre os docentes. Todos externam a importância desses momentos para motivar os estudantes desde a graduação.

Leave A Comment